jusbrasil.com.br
16 de Janeiro de 2019

Práticas, cápsulas de café feitas de plástico podem representar risco ambiental e à saúde

Fazer um café nunca foi tão prático, porém, certas variações da embalagem apresentam riscos à saúde humana e à natureza

Carolina Salles, Advogado
Publicado por Carolina Salles
há 5 anos

A evolução do café em cápsula, principalmente dos modelos de embalagem feitos com plástico, causa preocupação em críticos e cientistas. Com a popularização do sistema desenvolvido pela empresa Keurig, a forma tradicional de produzir café sofreu um abalo. O novo método é bem prático. Basta colocar uma pequena cápsula de plástico, cheia de café e com uma tampa de alumínio no interior de uma máquina. Esse mecanismo retira a tampa e esguicha a quantidade necessária de água quente no café (também há modelos com chá). Em poucos instantes, você pode saborear sua bebida.

De acordo com o jornal Seattle Times, embora o produto lançado no mercado seja recente (surgiu em 1998 e tem se popularizado desde a década de 2000), um em cada cinco adultos dos EUA já bebeu o café K-Cups (como é conhecido internacionalmente). Isso fez com que ele se tornasse o segundo mais popular no país, perdendo apenas para o método de café tradicional.

O jornalista Murray Carpenter esboçou em seu livro Caffeinated, que o total de embalagens de K-Cups produzidos em 2011 daria para dar a volta ao mundo mais de seis vezes e que a crescente demanda pelo novo método levantou preocupações de críticos e cientistas sobre a composição do material usado pela na fabricação das cápsula, pois poderiam ser prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. É aí que mora o problema.

O especialista em recursos sênior do National Resources Defense Council(Conselho de Defesa de Recursos Naturais) dos EUA, Darby Hoover, afirmou que a maior parte das cápsulas não é reciclada devido ao pequeno tamanho.

Há algumas marcas que têm alternativas no mercado, como versões recicláveis ou biodegradáveis dos pequenos copinhos, inclusive com a totalidade das cápsulas sendo feita de alumínio - esses modelos reduzem danos e são mais populares no Brasil, principalmente os feitos de alumínio.

No entanto, mesmo com a atitude de concorrentes, o porta voz da Keurig, Sandy Yusen, alega que encontrar o substituto é algo muito difícil porque o café é um alimento perecível e, dessa forma, o composto da embalagem deve evitar a luz solar, umidade e o contato com oxigênio para conservar o produto.

Qual plástico?

Ao ser questionado sobre o material plástico que gera preocupação por conta de contaminação, o porta voz afirma que os materiais utilizados nos K-Cups são seguros e livres de BPA e que atendem ou excedem padrões aplicáveis nos EUA. No entanto, a empresa não quis informar quais os tipos de plásticos são usados na embalagem do produto, o que dá brecha para o possível uso do poliestireno, composto que é altamente prejudicial à saúde (é um possível carcinogênico).

Não é necessário apenas investir na praticidade, mas o conjunto de fatores precisa ser analisado para se o material agrega ou não em nosso dia a dia e ao meio ambiente.

Se você utiliza as cápsulas de café, preocupe-se com a composição delas e sua destinação. Antes de comprar, veja se elas são recicláveis de alumínio e totalmente recicláveis ou biodegradáveis. Outra possibilidade é usar o bom e velho coador de café. Que tal?

Confira abaixo como se dá a preparação do café com asK-Cups:

Fonte: http://ecycle.com.br/component/content/article/62-alimentos/2243-praticas-capsulas-de-cafe-feitas-de...

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)